OUTRAS NOTÍCIAS

  • “Não farei acordo com o diabo”, diz Bolsonaro ao recusar alianças políticas por tempo na TV

    “Não farei acordo com o diabo”, diz Bolsonaro ao recusar alianças políticas por tempo na TV

    A campanha eleitoral para a presidência da República terá diversos fatores incomuns, incluindo o fato de o líder das pesquisas, Jair Bolsonaro (PSL) praticamente não ter tempo de propaganda na TV. E, se depender de acordos políticos escusos, o presidenciável prefere continuar dessa forma.

    Em visita ao Maranhão na última semana, Bolsonaro afirmou que não montará uma coligação apenas para aumentar seu tempo de TV, por ter compromisso de romper com o modelo “toma lá, dá cá” que vem sendo adotado desde 1994 pelos presidentes eleitos.

    “Não farei acordo com o diabo para ter tempo de TV”, disse Bolsonaro, acrescentando que sua campanha se baseará nas redes sociais. “Propaganda hoje é feita com isso aqui [celular]. Tivemos o exemplo nos Estados Unidos, ninguém acreditava no Trump, mas ele ganhou”, argumentou, de acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo.

    Convicto de que tem apoio popular, o deputado federal criticou as pesquisas de intenção de voto, em especial, o instituto Datafolha: “Pesquisas no Brasil estão sob suspeitas. Pesquisas no Brasil, como regra, sempre foram usadas para ganhar voto. O eleitor que não gosta de falar, muitas vezes [diz] ‘não vou votar no cara que está perdendo’, aí vota no cara só porque está na frente”, disse Bolsonaro.

    Em uma crítica mais direta ao Datafolha, afirmou: “Nós carecemos no Brasil de uma fonte de pesquisas confiável”. O instituto de pesquisas ligado à Folha de S. Paulo é alvo, há anos, de piadas nas redes sociais que colocam sua credibilidade e metodologia em xeque.

    A pré-candidata ao governo do Maranhão, Maura Jorge (PSL), afirmou que existe má vontade da grande mídia contra Bolsonaro, que pinta uma imagem preconceituosa do presidenciável: “Para acabar com o factoide, ele escolheu uma mulher, nordestina e maranhense para apoiar no Maranhão”, afirmou a ex-prefeita do município de Lago da Pedra e deputada estadual por quatro vezes.

    “As pessoas querem alguém que ame a sua pátria, alguém que afaste o comunismo. O Maranhão, a partir de 2019, não será mais governado por comunistas”, concluiu Bolsonaro, ressaltando seu apoio a Maura Jorge e criticando o governador Flávio Dino, do PCdoB.

    Gospel+
    com informações de Folha de S. Paulo
  • Cristãos são mortos por muçulmanos ao saírem de culto evangélico, na Nigéria

    Cristãos são mortos por muçulmanos ao saírem de culto evangélico, na Nigéria

    A onda de ataques contra os cristãos promovida por muçulmanos fundamentalistas, na Nigéria, parece estar fora de controle. Dessa vez, dois cristãos foram mortos ao caírem em uma emboscada, logo após saírem de um culto evangélico, segundo informações da  Morning Star News divulgadas na última quarta-feira (14).

    Ibrahim Weyi, 45, e Larry More de 53 anos, estavam retornando para casa após saírem da Igreja Evangélica Winning All, em Kwall, estado de Plateau. Ambos estavam em uma motocicleta quando foram surpreendidos pelos muçulmanos do grupo “Fulani”.

    Samuel Weyi, de 23 anos, também sofreu o ataque, mas conseguiu escapar com vida. Ele é uma das dezenas de testemunhas que já foram vítimas do grupo “Fulani” na região, cada vez mais conhecido pela frequência dos ataques e a violência dos métodos de tortura e assassinato empregados por ele.

    “Os fulanis continuaram matando cristãos inocentes em nossas aldeias, mas o governo nigeriano não tomou medidas proativas para acabar com o ataque”, disse o morador local Lawerence Zango.

    A falta de combatividade do Governo Nigeriano é algo que está chamando atenção de outros líderes religiosos. Em um comunicado, a a Conferência dos Bispos Católicos da Nigéria se mostrou indignada com o descaso das autoridades perante o aumento dos ataques terroristas:

    “Estamos tristes. Estamos com raiva. Nos sentimos totalmente expostos e mais vulneráveis. Diante dessas nuvens escuras de medo e ansiedade, nosso pessoal está sendo cotado diariamente por alguns para se defender. Mas se defender com o quê?”, diz o comunicado, acrescentando que os bispos “se sentem violados e traídos em uma nação que todos nós continuamos a sacrificar e a orar. Nós nos sentimos abandonados e traídos coletivamente”.

    Comentando os assassinatos de Ibrahim Weyi e Larry More, o pastor Sunday Zibeh, da Igreja Evangélica Winning All em Nzharuvo, destacou que 11 cristãos já foram mortos desde fevereiro pelo mesmo grupo islâmico. O religioso reforçou a crítica ao Presidente nigeriano:

    “A triste realidade é que o governo nigeriano liderado pelo presidente Muhammadu Buhari, não agiu de forma alguma para acabar com esses ataques”, disse ele, segundo informações do Christian Post.

    Gospel+
  • Resultado de imagem para ZORRA IGREJA

    A Fé cristã é uma piada? Zorra, da Globo, retrata “demônio bom” e “Deus desonesto”

    Resultado de imagem para ZORRA IGREJA

    Desde sua reformulação, em 2015, quando mudou de “Zorra Total” para apenas “Zorra”, o humorístico transmitido aos sábados pela rede Globo vem apregoando que fugiria dos bordões e piadas sobre negros, gays e outros tópicos que não são mais considerados aceitáveis.

    Os quadros do programa, no formato de esquetes que se assemelham mais ao humor de canais populares no Youtube, passaram a focar em paródias musicais, piadas nonsense, sátiras políticas e, com frequência, abordar temas religiosos.

    O ator Welder Rodrigues tem interpretado com regularidade um pastor pentecostal que realiza libertações em sua igreja. Nas últimas semanas, ele aparecia na tela fazendo orações por um fiel vivido por Luis Miranda.

    Um dos programas exibiu um quadro onde o pastor realizava exorcismo no culto de “Descarrego do Vício”. Miranda estava possuído pelo “espírito da jogatina”, porém, o líder religioso preferiu não expulsar essa entidade. Ele optou por levar o endemoninhado para fazer dupla com ele em uma competição de carteado, onde ganhou muito dinheiro.

    Já no dia 9 de junho, o possuído interpretado por Miranda reclamava da libertação. Após o demônio sair, o pastor pede que o fiel “pague o dízimo”. Quando o liberto pede um “recibo” ao personagem de Welder, para poder debitar do Imposto de Renda, o pastor se recusa.

    Diante disso, a exigência do liberto é que o demônio, que seria bom para ele, voltasse, uma vez que a igreja não pagava impostos, mas ele sim. Assista aqui.

    Essa visão distorcida do que seria “certo” ou “errado” na religião cristã do Zorra não se aplica apenas aos evangélicos. No programa mais recente, Welder Rodrigues interpreta um outro líder religioso: o papa.

    Num esquete onde ele diz que o Vaticano irá participar da Copa do Mundo, ouve a preocupação dos cardeais que seriam escalados, sobre a pouca chance de vencerem. O pontífice assegura: “Deus está do nosso lado”.

    Durante o primeiro jogo, o papa cruza uma bola e surge em campo uma figura iluminada, representando a Deus, que faz o gol de mão. Na comemoração do tento, que ocorreu de forma desonesta, Welder se ajoelha e agradece: “la mano de Dios”, uma referência ao controverso gol de mão de Maradona no jogo Argentina X Inglaterra na Copa de 1986. Apesar da ilegalidade, o jogador minimizou ter violado as regras do esporte, alegando que teve ajuda divina.

    Isso está longe de ser mais uma piada inócua, afinal o Zorra no ano passado havia feito um quadro onde Deus era representado como uma pessoa LGBT

    Questionar o caráter de Deus e tentar retratar um demônios como algo “bom” e que pode trazer algum tipo de vantagem realmente ultrapassa os limites do humor e se caracteriza, mais uma vez, como elementos de uma campanha contínua da emissora para ridicularizar a fé cristã e seus princípios.

  • Pessoas de fé vivem mais que ateus, aponta pesquisa de universidade de psicologia

    Pessoas de fé vivem mais que ateus, aponta pesquisa de universidade de psicologia

    A fé é um fator importante para alcançar uma vida longa, anunciaram pesquisadores em um relatório de um estudo recente, que mostrou que ateus vivem menos que aqueles que crêem.

    A pesquisa foi realizada pelo Departamento de Psicologia da Universidade de Ohio (EUA), com a análise de dados de mil pessoas. Os responsáveis concluíram que a fé tem influência em muitos aspectos da vida, como relacionamentos, alimentação, convicções e até a longevidade.

    De acordo com informações do portal Daily Mail, os psicólogos identificaram que a baixa ingestão de álcool e o voluntariado em atividades sociais são características presentes na vida das pessoas que alcançam maior longevidade. Os resultados do estudo foram publicados na conceituada revista científica Social Psychological and Personality Science.

    Até agora, a repercussão sobre o estudo tem sido marcada por uma conclusão: a comprovação de que quem tem fé e mantém uma rotina de congregação pode viver até 5,6 anos a mais do que pessoas ateias ou “sem religião”: “Ainda há muitos benefícios da afiliação religiosa que não conseguimos explicar”, comentou a líder da equipe, Laura Wallace, doutoranda em psicologia.

    O coautor do estudo, Dr. Baldwin Way, professor de psicologia da Universidade de Ohio, sublinhou que os resultados podem causar irritação aos ateus, mas a constatação não pode ser ignorada: “O estudo fornece evidências persuasivas de que existe uma relação entre a participação religiosa e o tempo de vida de uma pessoa”, disse.

    A longevidade das pessoas religiosas, pontuou Baldwin Way, não é resultado apenas da crença, mas de uma série de fatores inerentes ao pertencimento a um grupo religioso, que – embora ainda faltem mais evidências – é um importante remédio contra a solidão e na integração social das pessoas na velhice.

    Gospel+
  • “Eu não sou maçom”, diz pastor Claudio Duarte, após polêmica

    “Eu não sou maçom”, diz pastor Claudio Duarte, após polêmica

    O pastor Claudio Duarte, postou mais um vídeo na sua conta do Instagram, nesta sexta-feira, 15, para esclarecer a polêmica causada em torno de uma palestra que ele irá fazer na XLVII Assembleia Geral Ordinária da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil.

    No vídeo, o pastor nega que seja um maçom e diz que apenas está indo prestar um serviço à comunidade.

    “Deixa eu dizer uma coisa para vocês. Eu fui convidado para dar uma palestra para a família a uma comunidade maçônica. Eu não sou maçom e não tenho pretensões de ser maçom. Os maçons já sabem disso. Quem não sabe são os evangélicos. Essa turma que está achando que, por eu estar indo prestar um trabalho, eu pertenço à maçonaria”, explicou.

    Ele ainda disse que também não será remunerado pela palestra que irá apresentar no evento.

    “Não estou falando nem a favor e nem contra. Só estou esclarecendo isso. Estou indo lá prestar um serviço, aliás, pelo qual eu não pretendo ser remunerado. Só o prazer que vou ter de falar para essa comunidade, que eu nunca vi um pastor falando, será o suficiente”, esclareceu.

    Na quarta-feira (13), o pastor Claudio Duarte chegou a comentar sobre o seu nome na programação da assembléia.

    Na ocasião, ele disse que já passou por diversos lugares e que nunca negou sua fé.

    “Ao longo do meu ministério eu passei por diversos lugares: programas de televisão como Ratinho, Celso Portiolli, Danilo Gentili, Raul Gil; entrevistas; uma série de coisas. Por onde eu passei, nunca negociei a minha fé, nunca negociei os meus princípios e nunca envergonhei o Evangelho”, explicou.

    Veja o vídeo abaixo: